A maconha


Essa semana teve uma palestra na semana acadêmica do curso de farmácia na instituição em que eu estudo muito interesse. O tema da palestra foi um tema muito polêmico: Maconha – De droga ilícita a planta medicinal.

Nessa palestra eu entendi o porquê essa droga é proibida. Você sabia que foi nos Estados Unidos na década de 30 que a maconha foi proibida pela primeira vez. Sabe por quê? Todos nós sabemos que a maioria dos norte-americanos não gosta de mexicanos, negros e árabes; então eles decidiram proibir o uso da maconha para poder prender essas pessoas que tinham o costuma de fumar maconha: mexicanos, negros e árabes.

Como vocês sabem os norte-americanos influenciam o resto do mundo.

Não foi por só esse motivo que os americanos proibiram o consumo e plantio maconha. Você sabia que o cânhamo, a fibra mais resistente que existe na natureza, que pode ser usado na fabricação de papel e também para uso têxtil é extraído do caule do pé de maconha. O papel oriundo do cânhamo é mais resistente, de melhor qualidade e mais barato do que o papel oriundo da celulose. O tecido produzido pelo cânhamo é muito melhor do o nylon. Para ter noção da resistência do cânhamo, as cordas usadas nas caravelas de Pedro Álvares Cabral quando o Brasil foi descoberto eram feitos desse material por mais resistente em relação a outros materiais.

Então por que não usar o cânhamo em vez da celulose e o nylon? Porque na década um dos autores da lei de proibição da maconha nos Estados Unidos era um grande empresário de celulose. Por trás da proibição existe também existe o fator financeiro como esse exemplo citado anteriormente.
Mas falando do lado medicinal da maconha, ela possui uma substância chamada Cannabis Sativa que produz o canabidiol, remédio que atua no sistema nervoso central, ajudando a tratar doenças psiquiátricas ou neurodegenerativas, como esquizofrenia, mal de Parkinson, epilepsia ou ansiedade, por exemplo.

Este remédio, como é feito a partir de substâncias selecionadas da planta, não apresenta risco de causar vício, dependência ou criar alterações psicológicas como a maconha natural e, por isso, pode ser utilizado de forma segura durante os tratamentos. O efeito colateral do uso do canabidiol é tontura e sonolência nos usuários.

Mesmo com todos esses benefícios, a pesquisa e produção de medicamentos à base de canabidiol são proibidas no Brasil, sendo que pais que tem filhos com epilepsia precisam conseguir a substância para o tratamento da doença na justiça de forma legal ou através do tráfico de forma ilegal.

Para exemplificar um desses casos veja o vídeo com um pedaço do documentário Ilegal para conhecer a realidade de uma dessas famílias:


Me diz você que é pai, você que é mãe tivesse um filho com epilepsia não faria a mesma coisa que esses pais fizeram para a filha deles viva?

Então porque as indústrias farmacêuticas não produzem medicamentos à base de canabidiol? Porque com a pesquisa e a fabricação de medicamentos à base de canabidiol iria retirar vários medicamentos do mercado como o Cloridrato de Fluoxetina, Gardenal e muitos medicamentos de tarja preta do mercado, já que o canabidiol não pode ser patenteado por nenhum laboratório farmacêutico.

Mesmo assim a maconha continua sendo proibida no Brasil, enquanto outras drogas como o cigarro e principalmente o álcool são incentivados o consumo na mídia, com propagandas com apelo sexual e machistas. Todos nós sabemos os efeitos de quem é usuário de álcool: acidentes no trânsito e violência.

Por isso depois dessa palestra mudei a minha visão sobre a maconha. Agora sou a favor da legalização da maconha para pesquisa de medicamentos à base de canabidiol, mas continuo contra a legalização contra o consumo natural da maconha.

Mas a legalização da maconha em todos os aspectos poderia reduzir o tráfico de drogas, como aconteceu no Uruguai que estatizou a maconha, com isso as mortes por tráfico no Uruguai chegou a quase zero. Em alguns os estados americanos estão arrecadando mais impostos por causa da legalização da maconha. Aqui no Brasil esse dinheiro só iria ajudar a enriquecer os políticos.

O principal mal da maconha é substância THC (Tetraidrocanabinol) que consumida pura pode causar dependência, no caso, fumar maconha. O uso da maconha pura pode causar câncer de pulmão por causa da fumaça do cigarro de maconha e também o usuário pode a Síndrome Amotivacional.
  
A Síndrome Amotivacional é um distúrbio que afeta muitos consumidores crônicos de cannabis. A síndrome é caracterizada pela passividade, apatia, conformismo, isolamento, introversão, perda dos ideais e das ambições pessoais, falta de emoção ou interesse pelas coisas, indiferença pelo que acontece ao seu redor, relutância e falta de cuidado na aparência, assim como diminuição das funções cognitivas como a concentração, a atenção, a memória, a capacidade de cálculo, assim como o juízo autocrítico e heterocrítico. Isto pode repercutir na diminuição do desempenho acadêmico dos jovens, para os quais se observa um agravamento significativo.


VALE RESSALTAR QUE EU, AUTOR DESTE BLOG, NÃO FUMO MACONHA E NEM ESTOU INCENTIVANDO OS LEITORES A USAREM ESSA DROGA. APENAS QUERO INFORMAR MEUS LEITORES PARA QUE HAJA O DEBATE DESSE ASSUNTO. DEFENDO O DEBATE ENTRE QUEM É PRÓ E CONTRA A LEGALIZAÇÃO DA MACONHA. VOCÊ TEM SUA OPINIÃO, EU TENHO A MINHA E AMBAS OPINIÕES DEVEM RESPEITADAS. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.
UA-98132943-1