Leeds United


O Leeds United foi primeiramente fundado em 1904, com o nome de Leeds City FC, mas foi forçado pela The Football League a fechar as portas em 1919 em resposta às acusações de pagamentos ilegais aos jogadores durante a I Guerra Mundial.

Um novo clube, o Leeds United, foi formado e acabou por receber um convite do então secretário da Midland League Mr. J. Nicholson para disputar esta liga. O Yorkshire Amateurs, time que até então ocupava o Elland Road, se ofereceu para deixar o estádio à disposição do novo time fundado na cidade, que estava sob o comando do jogador Dick Ray.

O presidente do Huddersfield Town, Mr. Hilton Crowther, emprestou ao Leeds uma soma de £35.000, que seria paga assim que o Leeds conseguisse uma promoção para a Division One. Ele ainda trouxe o então treinador do Barnsley Arthur Fairclough para o Leeds e, em 26 de fevereiro de 1920, Dick Ray tornou-se assistente deste.

Durante os anos seguintes, o Leeds consolidou sua posição na Segunda Divisão e, em 1924, conquistou esta competição, assim conseguindo a promoção para a Primeira Divisão do futebol inglês. Entretanto, a equipe não conseguiu se estabelecer e foi rebaixada na temporada 1926-1927. Após o rebaixamento, Fairclough saiu e Dick Ray voltou ao comando. Nos anos seguintes, até o começo da II Guerra Mundial, o Leeds foi rebaixado mais duas vezes, ambas elas sendo re-promovido na temporada seguinte.

Em 5 de março de 1935, Ray foi substituído por Billy Hampson, que ficou no cargo por mais 12 anos. Na temporada 1946-1947, o Leeds foi rebaixado com o seu pior saldo na liga em toda a sua história. Depois desta temporada, Hampson saiu (ele permaneceu no clube por mais 8 meses como olheiro) e deu lugar à Willis Edwards.

Em 1948, Sam Bolton substituiu Ernest Pullan como presidente do Leeds United. Edwards foi movido para o cargo de treinador assistente em abril de 1948, após ter completado apenas 1 ano como treinador. Ele foi substituído pelo Major Frank Buckley.

Eles permaneceram na Segunda Divisão até 1955-1956, quando o Leeds conquistou mais uma promoção à Primeira Divisão, inspirados pelo galês John Charles. Contudo, Charles era sedento por sucesso no seu mais alto nível, e o então treinador do Leeds Raich Carter não conseguiu convencê-lo de que o Leeds poderia satisfazer a todas as suas ambições. Charles foi vendido para a Juventus de Turim pela soma recorde de £65,000; a perda de um jogador tão importante para a estrutura do clube fez com que o Leeds entrasse em declínio, fazendo com que o clube fosse novamente rebaixado à Segunda Divisão em 1959-1960.

Em março de 1961, o clube contratou Don Revie como treinador. Sua administração começou em circunstâncias adversas: o clube encontrava-se em dificuldades financeiras e, em 1961-1962, apenas uma vitória no último jogo da temporada salvou o Leeds do rebaixamento para a Terceira Divisão. Revie colocou o time nos eixos, subindo para a Primeira Divisão em 1963-1964. Entre 1965 e 1974, o Leeds de Revie nunca terminou a Primeira Divisão longe das quatro primeiras colocações, vencendo a Liga por duas vezes (1968-1969 e 1973-1974), a FA Cup (1972), a Copa da Liga (1968) e duas “Inter-Cities Fairs Cup” (1968 e 1971), competição que precedeu a atual Liga Europa da UEFA.

Em contra mão ao sucesso, o Leeds “conquistou” uma inacreditável quantidade de vice-campeonatos; durante este período, o Leeds ficou em segundo lugar na Liga cinco vezes, perdeu três finais da FA Cup, ficou em segundo na Fairs Cup uma vez e perdeu uma final da Liga dos Campeões da UEFA. Nessa época a equipe do Leeds era conhecida como um dos melhores clubes do mundo, e a equipe de Revie é até hoje lembrada como um dos melhores times de futebol da história.

A última temporada de Revie no comando do Leeds foi a de 1974. Ele deixou o Leeds para comandar a seleção nacional da Inglaterra. Brian Clough foi apontado como o sucessor de Revie, o que foi uma surpresa, uma vez que Clough sempre foi um crítico ativo de Revie e do seu esquema tático implantado no Leeds. O time jogou muito mal durante o comando de Clough, e, depois de apenas 44 dias, ele foi demitido e substituído pelo antigo capitão Inglês Jimmy Armfield. Este conseguiu levar o clube até a final da Liga dos Campeões da UEFA, onde foi derrotado por 2×0 pelo Bayern de Munique.
Assistido pelo preparador físico Don Howe, Armfield reconstruiu o time de Revie com algum sucesso, trazendo nomes como Tony Currie e Brian Flynn. Durante a sua administração o Leeds nunca terminou fora das 10 primeiras colocações da Primeira Divisão. Entretanto, a diretoria do Leeds encontrava-se impaciente por não ver o mesmo sucesso da época de Revie e acabou demitindo Armfield, que foi substituído por Jock Stein, que também ficou apenas 44 dias no comando antes de sair para a seleção da Escócia. A diretoria voltou seus olhos para Jimmy Adamson, mas este não conseguiu conter o declínio do Leeds. Em 1980, Adamson se demitiu e foi substituído pelo jogador formado no Leeds e estrela inglesa Adam Clarke. Ele foi incapaz de manter o time competitivo e foi rebaixado à Segunda Divisão em 1981-1982. Clarke foi substituído pelo também ex-jogador do Leeds Eddie Gray.

Sem dinheiro para construir um time forte, Gray concentrou-se no desenvolvimento da base, mas não conseguiu tirar o time da Segunda Divisão. A diretoria ficou novamente impaciente e o demitiu em 1985, substituindo-o por outra estrela do time de Revie: Billy Bremner.

Bremner também encontrou as mesmas dificuldades encaradas sem sucesso por Gray e não conseguiu promover o clube para a Primeira Divisão, apesar de ter chego mais perto do que o seu antecessor: em 1987 a equipe chegou aos playoffs, mas foi eliminada pelo Charlton Athletic na prorrogação. O Leeds também chegou longe na FA Cup, perdendo para o Coventry City nas semi-finais.
Em outubro de 1988, com o time em vigésimo primeiro na Segunda Divisão, Bremner foi despedido e abriu caminho para Howard Wilkinson, cujo comando levou a equipe à uma promoção para a Primeira Divisão em 1989-1990. Na temporada seguinte, o clube terminou a liga em quarto lugar.

Na temporada 1991-1992 o clube conquistou mais uma gloria: o Campeonato Inglês foi conquistado pela 3ª vez pelo clube do Elland Road, tendo como marca o fato de essa edição ser a última da liga antes de ela se tornar a “Premier League”, que é disputada até hoje.

Entretanto, a temporada 1992-1993 foi uma má temporada, com o Leeds saindo da Liga dos Campeões na primeira fase e terminando a liga em décimo sétimo, lutando para escapar do rebaixamento. O Leeds de Wilkinson mostrava-se incapacitado de manter uma série consistente de ataques ao título, e sua posição não melhorou quando o Leeds fez a final da Copa da Liga contra o Aston Villa de forma asquerosa. O Leeds terminou na 13ª posição em 1995-1996 e, depois de uma derrota em casa para o Manchester United por 4-0, Wilkinson teve o seu contrato terminado.

Um dos legados de Wilkinson e do treinador de juniores Paul Hart foi o de que eles ajudaram a desenvolver a academia do Leeds United e, como resultado, uma série de jogadores talentosos formados pelo Leeds e para o Leeds durante vários anos.

A diretoria do Leeds escolheu George Graham como substituto de Wilkinson. A escolha foi controversa, uma vez que Graham já havia recebido uma punição de um ano da ‘The Football Association’ por receber pagamentos ilegais de um agente de futebol. No comando do clube, Graham fez astutas contratações como Jimmy Floyd Hasselbaink e Michael Bridges. Também acreditou em alguns jovens jogadores formados na academia do Leeds, cujo grupo havia sido campeão da Inglaterra em sua categoria e, ao final da temporada, o Leeds conseguiu uma vaga para jogar a Copa da UEFA do ano seguinte.

Em outubro de 1998, Graham saiu para tornar-se treinador do Tottenham Hotspur, e o Leeds optou por substituí-lo pelo seu assistente David O’Leary. A estrela Hasselbaink trocou o Leeds pelo Atlético de Madrid depois de não ter seu contrato renovado pelo presidente Peter Ridsdale. O’Leary deu chance à jovens promissores para integrar o plantel principal e, como substituto de Hasselbaink, contratou Mark Viduka juntamente com o meia francês Olivier Dacourt, que quebrou o recorde de dinheiro gasto em transferências pelo Leeds até então.

O’Leary, assistido pela lenda Eddie Gray, conseguiu chegar à 3ª posição na Premier League, garantindo uma vaga para a Liga dos Campeões da UEFA. A imagem do Leeds foi manchada em janeiro de 2000, quando os jogadores Jonathan Woodgate e Lee Bowyer foram envolvidos em um incidente que deixou uma estudante asiática no hospital com uma série de ferimentos. O caso demorou dois anos para ser resolvido: Bowyer foi inocentado das acusações e Woodgate foi condenado a prestar serviços à comunidade.

Ainda em 2000, os Whites conseguiram chegar à semifinal da Copa da UEFA, mas foram parados pelo Galatasaray, em Istanbul. O Leeds perdeu o jogo, mas o resultado foi obscurecido pela morte de dois torcdores dos Whites: Christopher Loftus e Kevin Speight, que foram esfaqueados até a morte antes do jogo. Depois disto, uma vez por ano um minuto de silencio é praticado no jogo mais próximo à data do ocorrido.

Na temporada seguinte, o Leeds bateu todos os seus recordes de dinheiro gasto em transferências ao comprar o defensor inglês formado no West Ham Rio Ferdinand por £18 milhões. Ferdinand foi, então, nomeado capitão do Leeds, substituindo Lucas Radebe. Em 2001, a equipe chegou à semifinal da Liga dos Campeões da UEFA, mas foi eliminado pelo Valencia. Nesta época, os Whites eram considerados, mais uma vez, um dos melhores clubes da Europa.

O Leeds de O’Leary jamais terminou o campeonato fora dos cinco primeiros, mas depois da derrota para o Valencia, sua sorte mudou. Sob o mando do presidente Peter Ridsdale, o Leeds pegou empréstimos altíssimos com o prospecto de pagá-los com os direitos televisivos e patrocínios que viriam junto com a classificação para a Liga dos Campeões da UEFA da temporada seguinte e consequente progresso nesta competição. Com o dinheiro, o Leeds comprou Robbie Fowler e Seth Johnson por altos valores e gordos salários, dentre outros jogadores famosos na época. Por outro lado, o Leeds não conseguiu classificar-se para a Liga dos Campeões por míseros 5 pontos, perdendo a 4ª posição para o Newcastle United e, consequentemente, não recebeu a receita necessária para cobrir os empréstimos. A primeira indicação de que o clube estava com problemas financeiros foi a venda de Rio Ferdinand para o Manchester United por cerca de £30 milhões. Depois da venda, Ridsdale e O’Leary entraram em choque e este último foi despedido e substituído pelo treinador Terry Venables.

O Leeds teve más performances sob o comando de Venables, e outros jogadores foram vendidos para poder pagar o empréstimo, incluindo Jonathan Woodgate, atleta que Ridsdale havia prometido à Venables que não seria vendido. Outras estrelas como Lee Bowyer, Nigel Martyn, Robbie Fowler, Robbie Keane e Harry Kewel foram vendidas com o tempo.

A tensão cresceu entre Venables e Ridsdale. Como vários jogadores saíram, a estrutura comprometeu-se e o time não conseguia mais extrair o melhor de cada jogador. Depois de uma série de péssimos resultados, com o Leeds na metade inferior da tabela e com as relações do treinador com o presidente por um fio, Venables foi sacado e substituído por Peter Reid. Durante este tempo, o presidente se demitiu do cargo e foi substituído pelo diretor Professor John McKenzie. Neste período, o Leeds quase foi rebaixado para a Championship, mas Reid salvou a equipe na penúltima rodada da temporada. Por tal feito Reid teve seu contrato renovado no verão seguinte.

Devido à venda de jogadores, falta de fundos e falha em contratar os jogadores Paolo Di Canio, Patrick Berger e Kleberson, ele trouxe 8 jogadores por empréstimo. Esta política não exerceu sucesso, com jogadores como Roque Júnior não conseguindo jogar de acordo com as expectativas. Um começo muito fraco em 2003-2004, péssimas apresentações e tumultos no vestiário resultaram na demissão de Peter Reid. Eddie Gray entrou no cargo de treinador interino e permaneceu assim até o fim da temporada.

Gerald Krasner, um especialista em insolvência, liderou um consórcio entre empresários locais que assumiu o Leeds e, sob sua presidência, supervisionou a venda dos direitos do clube, incluindo jogadores seniores e jovens por qualquer valor. Gray foi largamente criticado pelo desempenho do clube na temporada 2003-2004 e pelo fato de que a maioria do plantel foi vendida durante o seu período de treinador. Apesar de todos os seus esforços, o Leeds foi rebaixado após 14 anos na mais alta divisão do futebol inglês.

Depois do rebaixamento, o período de Gray como treinador interino expirou e o assistente Kevin Blackwell foi apontado como treinador, sua primeira vez em tal função no futebol. Um êxodo em massa seguiu-se a este ocorrido, visto que a grande maioria dos jogadores restantes do Leeds foi vendida ou liberada para diminuir a alta folha salarial do clube. Estrelas como Mark Viduka, Dominic Matteo, Paul Robinson, Alan Smith e James Milner foram vendidos por valores incrivelmente baixos. Blackwell foi forçado a reformar o plantel através de transferências livres. Nesta época, o Leeds United foi forçado a vender o centro de treinamentos por £4.2 milhões e o seu estádio em outubro de 2004.

A diretoria finalmente vendeu o clube para Ken Bates por £10 milhões. Blackwell estabilizou a situação financeira do time contratando jogadores em transferências livres e a baixos salários, terminando a temporada 2004-2005 no meio da tabela da Coca Cola Championship. No final daquela temporada, o lendário defensor do Leeds Lucas Radebe retirou-se após uma série de lesões e a jovem promessa Aaron Lennon transferiu-se ao Tottenham Hotspur. Na temporada 2005-2006, o Leeds terminou entre os 6 primeiros e foi para os playoffs. O time era o grande favorito para subir, mas, apesar de ter feito parte do Top 3 durante a maior parte da temporada, as apresentações do Leeds caíram de forma muito drástica no último quarto da temporada. Depois de um impressionante desempenho contra o Preston fora de casa na semifinal dos playoffs, muitos acreditaram que o Leeds estava de volta aos bons tempos daquela temporada, mas uma derrota por 3×0 contra o Watford jogou todas as expectativas por terra.

A temporada 2006-2007 começou muito mal com o Leeds concedendo muitos gols no final do jogo, e em setembro de 2006 o contrato de Blackwell como treinador expirou. John Carver ficou como treinador interino, mas sua gestão foi um desastre. Carver foi dispensado dos seus afazeres e Dennis Wise foi instalado como interino, sendo que um mês depois sua contratação como treinador permanente foi efetivada. Matt Kilgallon, uma das estrelas do Leeds, saiu em janeiro para juntar-se ao Sheffield United. Wise foi incapaz de manter o clube longe da zona de rebaixamento durante a maior parte da temporada, mesmo tendo em sua disposição uma gama de jogadores experientes emprestados. Com o rebaixamento praticamente certo, o Leeds, em 4 de maio de 2007, ainda levou uma penalidade de 10 pontos devido a irregularidades administrativas, o que oficialmente terminou por rebaixar o clube para a Terceira Divisão do futebol inglês.

Este rebaixamento foi o ponto mais baixo da história do Leeds United, uma vez que este jamais havia jogador em uma divisão inferior à Segunda. Ao final da temporada a torcida viu vários jogadores irem embora, como David Healy, Robbie Blake e Gary Kelly. Kelly estava no clube desde os dias de Howard Wilkinson. Com o rebaixamento e a saída dos jogadores, o Leeds foi forçado a contruir um plantel quase que totalmente do zero. Com o futuro do clube incerto, o Leeds não conseguiu contratar nenhum jogador até poucos dias antes da estréia na liga, contra o Tranmere Rovers.
Mais uma vez, o Leeds encontrava-se em problemas administrativos, mas desta vez o problema do Leeds feriu o regulamento da ‘Football League’ de modo mais profundo, fazendo com que o clube recebesse uma penalidade de 15 pontos*.

No dia seguinte, o antigo capitão do Leeds Gary McAllister foi contratado como treinador e Steve Staunton como assistente técnico. Apesar da alteração da equipe técnica no meio da temporada, más performances no geral e os 15 pontos de dedução, o Leeds ainda manteve-se na zona de playoffs com um jogo a menos que seus adversários. Com o time quase saindo da zona de playoffs, McAllister contratou Dougie Freedman por empréstimo, o que foi essencial para que o Leeds chegasse se qualificasse. De qualquer forma, o Leeds foi batido pelo Doncaster Rovers na final dos playoffs em seu priemiro jogo no “Novo Wembley”, com vários de seus jogadores atuando de uma forma muito diferente do normal.

Para a temporada seguinte McAllister contratou Andy Robinson, Luciano Becchio e Robet Snodgrass, reforços que permitiram ao Leeds ter um excelente começo de temporada, com um time que jogava de forma atrativa. Além disso, o surgimento do jovem Fabian Delph era uma indicação de que a academia do Leeds ainda funcionava à todo vapor. Mesmo assim, a defesa da equipe era muito frágil, tomando muitos gols e, por isso, a equipe despencou na tabela. No dia 21 de dezembro de 2008 McAllister foi demitido após uma série de maus resultados (5 derrotas seguidas), incluindo a primeira derrota do clube para equipes fora da “Football League” em jogo contra o Histon, pela 2ª fase da F.A. Cup. Vale lembrar que o atleta que marcou o gol do Histon completava seu salário trabalhando como carteiro durante o dia.

McAllister foi substituído por Simon Grayson, que deixou o cargo de treinador do Blackpool para assumir o comando do Leeds. A equipe melhorou sob o comando de Grayson, que trouxe vários jogadores por empréstimo, como Richard Naylor e Sam Sodje, para reforçar sua defesa. O time novamente se qualificou para os playoffs, mas foi eliminado na semi final após ser batido pelo resultado agregado de 2×1 pelo Millwall. Ao final da temporada Fabian Delph se transferiu para o Aston Villa em um negócio milionário.

Com o dinheiro da venda de Delph, Grayson decidiu fortalecer o time contratando Patrick Kisnorbo, Shane Higgs, Jason Crowe, Michael Doyle e Leigh Bromby. Richard Naylor foi trazido por definitivo e, ainda por cima, recebeu a faixa de capitão da equipe.

O clube abriu a temporada 2009-2010 com oito vitórias consecutivas, sendo o melhor começo de temporada da história do Leeds. No entanto, o Leeds foi derrotado por 1×0 para o Liverpool em jogo válido pela Carling Cup, encerrando, assim, sua série de vitórias. Ao final do ano, o Leeds se encontrava no topo da League 1, tendo 56 pontos.

Em 26 de dezembro de 2009, o treinador Simon Grayson comemorou um ano desde sua chegada ao clube. Até a ocasião, o treinador havia comandado a equipe em 46 jogos na Liga, tendo acumulado 102 pontos e marcado 99 gols.

Na terceira eliminatória da FA Cup, o Leeds teve uma surpreendente exibição contra um de seus maiores rivais: uma vitória por 1×0 sobre o Manchester United, em pleno Old Trafford. Foi a primeira vitória do clube no Old Trafford desde 1981, e também foi a primeira vez que o time de Alex Ferguson perdeu para uma equipe de divisão inferior na FA Cup. Na fase seguinte, o Leeds enfrentou o Tottenham no White Hart Lane, e conseguiu um empate em 2×2 após um de Jermaine Beckford já nos acréscimos. Embora tenha se esforçado, o Leeds acabou sendo eliminado após perder o jogo de volta por 3×1 no Elland Road.

Após uma impressionante campanha na FA Cup, o Leeds caiu muito de rendimento na League One, conseguindo apenas 7 dos 24 pontos disputados após a eliminação e, consequentemente, cedendo uma liderança que tinha 9 pontos de vantagem para o Norwich City. A péssima campanha no segundo turno incluiu uma derrota por 2×1 para o Wallsall em pleno Elland Road; essa partida foi a primeira derrota do Leeds em casa em 26 jogos pela liga, um tabu que já durava mais de um ano. Após um empate com o Brentford, no dia 6 de março, o Leeds ainda estava em 2º lugar, mas com apenas 2 pontos de vantagem para o 3º colocado, o Charlton. A primeira vitória do Leeds fora de casa em 2010 veio no dia 9 de março, com uma convincente vitória por 4×1 em cima do Tranmere Rovers, resultado que deu uma confortável vantagem de 5 pontos para o Leeds, faltando ainda 11 jogos para o final da competição.

Contudo, no dia 22 de março o Leeds recebeu seu maior rival na competição, o Millwall. Com a lesão de Kisnorbo logo no início do jogo e com má atuação, os Whites perderam por 2×0 e viram a distância para o segundo colocado diminuir para 3 pontos. A série de quatro derrotas consecutivas levou o Leeds até a 4ª colocação.

O Leeds finalmente acabou com sua série de derrotas vencendo o Yeovil por 2×1, no Huish Park, e também o Southend, em casa, por 2×0. O Leeds ainda ganhou do Carlisle, fora de casa, mesmo com Grayson tendo deixado o artilheiro Jermaine Beckford no banco, optando pela dupla formada por Max Gradel e Luciano Becchio, que marcou por quatro jogos consecutivos. Essa vitória levou o Leeds de volta ao segundo lugar, que garantiria a promoção automática.

Mas como tudo no Elland Road é sofrido, o Leeds não foi capaz de manter sua série de vitórias, e perdeu para o Gillingham por 3×2, fora de casa, ainda mantendo o segundo lugar. No dia 24 de abril o Leeds respondeu às críticas e venceu o MK Dons, em casa, por 4×1. No penúltimo jogo da temporada o Leeds viu o Millwall perder por 2×0 para o Tranmere Rovers, mas desperdiçou a chance de garantir a promoção perdendo para o Charlton, fora de casa, com um gol contra do capitão Richard Naylor.

Mesmo desperdiçando essa oportunidade o Leeds continuava na 2ª colocação, com um ponto de vantagem sobre Millwall e Swindon, dois pontos sober o Charlton e três pontos sobre o Huddersfield. A promoção só dependia de uma vitória do Leeds no último jogo da temporada, contra o Bristol Rovers, no Elland Road.

Com casa cheia, o Leeds viu Max Gradel ser expulso ainda no primeiro tempo, aos 34 minutos, após dar um empurrão em um adversário. Com um jogador a menos e com apoio da torcida, que cantou o jogo todo, o Leeds foi para os vestiários com o empate de 0x0 e sabendo que o Millwall estava ganhando do Swindon. Logo no começo do segundo tempo um grande susto: o Bristol Rovers abre o placar com um gol de Darryl Duffy. Naquele momento o Leeds iria, pela 3ª temporada consecutiva, para os playoffs. Mas a resposta foi imediata.

Logo após sofrer o gol, Simon Grayson sacou Shane Lowry da partida e colocou Jonny Howson em campo, uma escolha mais que acertada. Apenas 5 minutos após entrar em campo, Howson acertou um belo chute da entrada da área e empatou o jogo. Empurrado pela torcida, o Leeds fez uma verdadeira blitz no campo de defesa do Bristol, que sofreu a virada 4 minutos após o empate, com um gol do sempre oportunista Jermaine Beckford.


O Leeds segurou o resultado até o final do jogo e confirmou sua promoção para a Championship. Jermaine Beckford foi o artilheiro do Leeds na temporada, com 31 gols, enquanto Patrick Kisnorbo foi eleito o melhor zagueiro da League One.

Nenhum comentário