Palestra com a Jornalista Joanna de Assis


No dia 14 de abril, na abertura do Salão do Livro de Lages aconteceu um bate-papo com a jornalista do canal SporTV Joanna de Assis, apresentadora do programa “Bem Amigos” ao lado de Galvão Bueno.

Durante a conversa ela contou como foi a experiência em escrever o livro “Para Heróis” onde ela conta a história de 10 atletas paraolímpicos sobre as dificuldades que conseguiram superar através do esporte.

Durante a produção do livro, Joanna surpreendeu com alguns relatos como uma atleta que só descobriu que era cega aos 13 anos. Outra relatou que atleta após sair do hospital depois de amputar a perna foi fazer o serviço de casa. O que chamou mais a atenção que todos os atletas paraolímpicos eram de origem humilde e por isso conseguiram superar suas deficiências.

Além de falar sobre o livro, Joanna falou de alguns casos durante sua carreira, quando trabalhou na revista Placar, ela tinha que fazer uma entrevista perfil com o lateral-esquerdo Lucio, que jogava na época no Palmeiras, que contou uma história diferente sobre a vida dele, e ela descobriu que tudo mentira de dele.

Também ela falou da importância de apurar as informações, como pedido de demissão do técnico do São Paulo, Muricy Ramalho, onde o jornalista da uma outra emissora deu a notícia antes do fato acontecer. Joanna ligou para Muricy e ele disse que estava negociando a sua saída do São Paulo, fato que dias depois acabou acontecendo.


Depois de ela contar um pouco de sua carreira, foi aberta a perguntas para plateia. Uma das perguntas foi sobre se os jornalistas esportistas deveriam assumir os times que eles torcem, ela respondeu se não as torcidas organizadas e falta de compreensão de alguns torcedores, eles poderia assumir os times que eles torcem. Mas aconselhou aos estudantes de jornalista a não assumirem.
O encontro entre a jornalista Joanna de Assis com Mateus Rosa, autor do Mundo em Pauta(Créditos: Fabio Severo)


Outra pergunta que foi feita a Joanna de Assis sobre o preconceito que ela enfrentou pelo fato de ser mulher e por trabalhar no jornalismo esportivo. Muitos colegas diziam que ela conseguia informações privilegiadas e que só conseguia essas informações por ser mulher. Hoje ela disse que não existe tanto preconceito como na época em começou a atuar no jornalismo esportivo.
Depois da palestra, Joana de Assis autografou o seu  livro Para Heróis e tirou fotos com estudante de jornalismo. Foi palestra muito proveitosa para quem quer atuar no jornalismo esportivo ou no jornalismo literário. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.
UA-98132943-1