Técnicas de entrevista


Elabore um roteiro. Levante o máximo de informações sobre o entrevistado e o tema de que ele vai falar. Com base neste material, elabore perguntas específicas e objetivas. Perguntas genéricas resultam em entrevistas tediosas

3) Marque a entrevista com antecedência e chegue PONTUALMENTE.

4) Vista-se de modo condizente com a entrevista. Não utilize roupas informais num ambiente social e vice-versa. As mulheres devem evitar cores e decotes extravagantes.

 

A ENTREVISTA

 

1) Informe-se sobre o tempo que o entrevistado tem para a entrevista. Se for pouco tempo, vá direto ao assunto.

 

2) O entrevistado merece respeito. Não faça atitudes que o inibam, agridam ou possam constranger. Evite atritos, quem sairá perdendo é sempre o leitor.

 

3) Não confie apenas no gravador. Anote num bloco os principais trechos, declarações curiosas, reveladoras ou bombásticas. Jamais guarde informações na memória. Fitas e gravações podem facilmente sumir. Lembre-se de que as declarações precisam ser fiéis.

 

4) Faça perguntas breves e diretas que não contenham uma resposta implícita. Não passe a sensação ao entrevistado de que você quer “pegá-lo” na esquina. Abandone a ideia de que o jornalista é um detetive pronto para descobrir crimes e tramoias. Esta é tarefa de um grupo reduzido de profissionais.

 

5) Não agrida o entrevistado. Seja cordial até mesmo para identificar contradições e mencionar pontos de vista opostos. Exemplo: Em uma entrevista com uma deputada acusado de quebra de decoro, jamais se coloque no papel de juiz. Diante de uma possível negativa, apresente pontos de vista recolhidos por outras pessoas: o que a senhora pensa da declaração do Senador Fulano sobre o fato de sua dança aparentar deboche aos eleitores.

 

6) Nunca se esqueça de que é a opinião do entrevistado que vale e não a do repórter.

 

7) Há entrevistados de todo o tipo. Por mais difícil que seja a entrevista sempre é possível retirar dela informações e opiniões (do entrevistado) úteis. Se o entrevistado fala pouco, procure ser direto na pergunta, pois a contextualização pode inibi-lo ainda mais ou forçá-lo a responder com

Monossílabos.

 

8) Jamais force uma declaração. Não há nada mais antiético do que forçar a barra de alguém para conseguir a declaração que precisa. O repórter não tem um objetivo, mas uma hipótese. Se ela não foi comprovada com a entrevista, troque de entrevistado, se possível. Caso o entrevistado seja a única fonte, a hipótese está derrubada e a abordagem deve ser refeita.

 

9) Temas “sensíveis” podem ser tratados, mas sempre com muita cordialidade e respeito. Insista se for necessário e respeite se o entrevistado se negar a falar. Registre essa recusa na matéria. Em todo caso, sempre consulte a Direção de Redação antes de escrever o texto. No caso dos

Produtos, converse sempre com o professor orientador. Há certas personalidades que não dão mais entrevistas por falta de respeito dos jornalistas.

 

10) Sempre se identifique como repórter. Nunca use gravadores ou câmeras escondidas. Essa prática dos meios de comunicação não é regra e nem empresta à entrevista qualquer valor superior. Novamente, jornalista não é detetive, não é policial, não é advogado, não é juiz, não é

Investigador. Ele é repórter. Deve reportar fatos aos leitores.

 

11) O entrevistado está coberto de direitos. Ele tem direito de se negar a dar entrevista. Respeite e registre essa atitude. O entrevistado tem direito de retificar e acrescentar declarações. Se o entrevistado solicitar que certos temas não sejam abordados na entrevista, que as perguntas lhe sejam apresentadas por escrito com antecedência ou que o texto final seja submetido a ele antes da publicação, consulte seu professor orientador, sempre.

 

12) Deixe o entrevistado concluir o raciocínio antes de fazer outra pergunta.

 

13) Esteja atento para o rumo que a entrevista tomar. Algumas perguntas podem ter sido esclarecidas em respostas anteriores e algumas perderem o sentido diante de alguma declaração.

 

14) Mostre-se preparado para o entrevistado. Utilize termos corretos ao meio. Leia sobre o assunto antes, faça pesquisas e anotações. Uma palavra fora de contexto pode derrubar uma entrevista.

 

15) Não se mostre prepotente. Pergunte tudo o que lhe parecer duvidoso. Não tenha vergonha de pedir ao entrevistado que esclareça um significado de uma sigla, que repita um trecho que não entendeu e que contextualize o nome de pessoas citadas.

 

16) Lembre-se sempre de que o leitor não tem, necessariamente, o mesmo grau de conhecimento do jornalista sobre o assunto. Se for o caso, vale questionar o entrevistado até sobre algo que lhe pareça muito óbvio.

 

17) Em entrevistas mais longas, se for o caso, quebre o gelo inicial com perguntas mais gerais como profissão, idade, histórico.

 

18) Sempre recolha todos os dados mesmo que nem todos sejam utilizados. -nome completo – peça para soletrar, se for o caso mostre-lhe se grafou corretamente. -idade -profissão

 

19) A pauta é uma indicação mínima do que se deve fazer. Algumas perguntas são obrigatórias e constam da pauta. O restante vai da competência do repórter.

 

20) Evite perguntas óbvias como indagar a um desabrigado da enchente “o que ele está sentindo” ou a uma mãe num enterro do filho “se ela está triste” ou para alguém que acaba de assinar um contrato milionário “se está feliz com o contrato”.

 

21) Em situações constrangedoras, como velórios, antes de colocar o gravador na boca da pessoa ou tirar o bloco do bolso, pergunte se há condições de se fazer uma entrevista. Se estiver acompanhado do fotógrafo, pergunte também se imagens são permitidas. 22) Por mais complicada que tenha sido a entrevista, o texto final deve ser organizado. A lógica do lead (ordem decrescente de importância dos temas) deve ser seguida na organização do texto.

 

 

23) Os entrevistados devem identificados de acordo com as normas do manual e não por seus apelidos. Evite usar “o técnico da seleção de Portugal, mais conhecido por Felipão”.

 

24) Entrevista exclusiva - São dadas exclusivamente a um veículo. Não utilize este termo se a

Entrevista foi dada individualmente a várias veículos, como as que são feitas

Em lançamentos de filmes comerciais.

 

Entrevista coletiva

Nas coletivas respeite a vez dos colegas, mas nunca se deixe levar. Procure sempre apontar um novo rumo – oportuno – e fazer perguntas criativas. Evite voltar a perguntas já respondidas. Pense, sempre, no público-alvo do seu veículo e faça perguntas relacionadas.

 

Declarações textuais

Trata-se da reprodução exata de palavras do entrevistado. Deve ser usado com critério para não tornar o texto monótono e para dar força para sua matéria. É ela que pode trazer proximidade, novidade ou relevância para os temas. Assim, mesmo pautas de assuntos “frios” ou distantes da realidade local podem ser “esquentadas” com entrevistas. Reproduza apenas as frases mais importantes e expressivas. Não é necessário reproduzir informações de conhecimento geral como “O verão é a estação mais chuvosa”, declarou o meteorologista. O uso da expressão sic (assim mesmo) deve ser muito restrito, apenas em casos em que a atenção do leitor deva ser chamada para algo de estranho ou errado da declaração. Suprima do texto as muletas da língua como né, sabe? viu? entende?

 

Discurso direto

 

O embaixador da Transilvânia na ONU, René Drácula fez um pronunciamento durante a abertura da 8ª Conferência das Partes. ” Venceremos a guerra sem derramar o sangue de nossos inimigos”, declarou o embaixador. “Isso seria um desperdício”, completou.

 

Discurso indireto

 

O embaixador da Transilvânia na ONU, René Drácula afirmou que “vencerá a guerra sem derramar o sangue de seus inimigos” pois isso seria “um desperdício”.

 

Tipos de entrevista

 

Entrevistas geradoras de matéria jornalística – São entrevistados os envolvidos no fato para dar subsídio e material ao repórter. Sem elas, os textos ficam pobres.

 

Entrevistas individuais e coletivas – As individuais são marcadas com antecedência e têm como objetivo obter informações sobre aquela pessoa, pela sua história, pelo envolvimento com um fato ou para se fazer um perfil.  As coletivas vão repercutir acontecimentos ou levantar opiniões sobre fatos.

 

ATENÇÃO: não se limite ao “fala povo” para repercutir determinados assuntos. Sempre recorra a um ou mais especialistas. Se os assuntos forem polêmicos, ouça entrevistados de ambos os lados.

Regras de edição da entrevista pingue-pongue

1) Assim, como uma reportagem ou notícia, a entrevista pingue-pongue exige um bom título, que deve destacar o aspecto mais interessante de tudo o que foi falado com o entrevistado. Pode ser um aspecto sobre a personalidade do entrevistado ou uma declaração expressiva dele.

 

2) Toda entrevista no formato pergunta e resposta exige um texto introdutório pequeno (também conhecido informalmente como cabeça), contendo informações sobre o entrevistado (breve perfil) e um resumo sobre o que foi tratado na entrevista (podendo conter algumas frases do entrevistado).

 

3) Após o texto introdutório, seguem as perguntas (feitas por você) e as respostas da sua fonte. As respostas devem ser uma transcrição fiel da fala do entrevistado. Por isso é fundamental (especialmente neste tipo de entrevista) a gravação. Apesar da fidelidade, erros gramaticais, repetições típicas da linguagem falada (como “né” e “daí”) e vícios de linguagem cometidos pelo entrevistado devem ser retirados do texto e corrigidos, sempre que possível. A não ser que se queira destacá-los. Se quiser destacá-los, use a palavra “SIC” (“assim”, do latim), que quer dizer que a pessoa disse aquilo mesmo, por mais estranho que possa parecer. Mas é melhor evitar essa prática.

4) Não mude o nível de linguagem do entrevistado. Se a linguagem dele é popular, mantenha o estilo.

 

5) Tente preservar a ordem original em que as perguntas foram feitas, a não ser que o entrevistado volte várias vezes aos mesmos assuntos. Nesse caso, tente deixar próximas as respostas por temas.

6) Antes de cada pergunta sempre vem o nome do veículo de comunicação (jornal, boletim, revista). A não ser em projetos editoriais especiais, como num livro.

7) Antes de cada resposta, sempre vem o nome do entrevistado, sendo que, na primeira resposta o nome completo deve ser escrito. Já nas outras respostas, apenas as iniciais ou o nome mais conhecido da pessoa é grafado.

8) Se a resposta for muito longa, é preciso resumi-la, mantendo os pontos essenciais.

9) Informações básicas (nome e idade do entrevistado, dados sobre sua carreira profissional e seu estilo de vida) devem vir no texto introdutório e não na forma de pergunta e resposta.

 

Nomes e cargos

1- Os cargos vêm antes, pois são eles que justificam a presença da pessoa na notícia. O cargo do ocupante é indicado com inicial minúscula. O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva. O presidente do Grupo Itaú, Roberto Setúbal. 2 – Os cargos ocupados por mulheres são redigidos no feminino: A secretária de Estado norte-americano ...; A governadora do Rio de Janeiro. No entanto, presidente é utilizado tanto para homens como para mulheres: A presidente eleita do Chile...

 

Segunda citação

Ao citar novamente um entrevistado, se for homem, identifique-o pelo sobrenome; se for mulher, pelo primeiro nome. O senador Eduardo Suplicy (PT-SP) foi o primeiro petista a assinar o pedido de investigação sobre as denúncias de corrupção. Suplicy afirmou ser coerente com a trajetória política do partido. A ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, defendeu a ação dos fiscais na Amazônia. Para Marina, o governo aumenta a presença na região.

abordar; admirar-se; ameaçar; acentuar ; admitir ; alardear; amenizar; aconselhar ; alegrar-se; anotar; acreditar; advertir; alertar ; analisar; acrescentar; alegar ; alfinetar; animar(se); acusar ; afirmar ; aludir; antever; adiantar; anunciar; compreender; denunciar; endossar; apontar; comprometer-se ; deplorar / depor; enfatizar; apostar ; comprovar ; derramar-se ; enfocar; apregoar; comunicar; desabafar; engatilhar; arguir; conclamar; desafiar; ensinar; arriscar ; concluir ; desarmar-se ; entender; argumentar ; concordar ; descansar ; entusiasmar-se; arrematar; condenar; descartar ; enumerar; arrolar; confessar; descobrir; esbravejar; assegurar; confiar ; desconfiar ; escandalizar-se; asseverar; confidenciar ; desculpar-se; escapar; assinalar ; confirmar ; desdenhar; ensinar; gritar; ponderar; esclarecer; assustar-se ; confundir-se; desenvolver; entender; precisar; esconjurar; atacar; congratular-se; desesperar-se ; espantar-se; atestar; conjecturar; desmentir ; esquivar-se; atribuir; consolar-se; destacar; estabelecer; avaliar; constatar; determinar; estimar; avisar; contabilizar; devolver; evidenciar; balbuciar; contar ; diagnosticar; exagerar; bradar; contemporizar; discordar; exclamar; bravatear ; contestar ; discorrer; exemplificar; brincar ; contra-atacar; discursar; exigir; eximir-se; calcular; contradizer; disfarçar; exortar / explanar; censurar; contrapor-se; disparar; explicar; chamar a atenção ; credenciar-se ; distinguir; explicitar; citar; crer; divertir-se; explodir; classificar ; criticar ; dizer; expor; cobrar ; decepcionar-se ; elogiar; expressar-se; comemorar ; declarar(se); elucidar; exprimir-se; comentar ; defender(se); emendar; extasiar-se; comparar; definir(se) ; emocionar-se; externar; complementar ; deixar escapar ; exultar; completar ; demonstrar ; encerrar; falar; fazer coro; mentalizar; raciocinar; resumir; festejar; minimizar; reafirmar; retrucar; filosofar; mostrar; reagir; revelar; finalizar; murmurar; rebater; revidar; frisar; narrar; negar; receitar; revoltar-se; fulminar; nomear / notar; reclamar; rezar; gabar-se; objetar; recompor-se; rugir; garantir; observar; reconhecer; sacramentar; gemer; gritar; opinar; recordar(se); salientar; ordenar; redimir-se; segredar; refazer-se; sentenciar; identificar; orgulhar-se; refletir; simplificar; ilustrar; pedir; reforçar; sintetizar; imaginar; penitenciar-se; regalar-se; solicitar; incentivar; pensar; registrar; sonhar; indagar; perguntar(se); regozijar-se; sublinhar; indicar; ponderar; rejeitar; sugerir; indignar-se; precisar; rejubilar-se; supor; informar; preconizar; relacionar; suspirar; insistir; predizer; relatar; sussurrar; interpretar; pregar; relativizar; sustentar; interrogar; preocupar-se; relembrar(se); tachar / temer; ir (mais) além; prever; rememorar; teorizar; ironizar; irritar-se; proclamar; replicar; terminar; isentar-se; profetizar; resguardar-se; testemunhar; jurar; prognosticar; resignar-se; titubear; justificar(se); propor; resistir; transmitir; lamentar(se); propugnar; resmungar; lamuriar-se; prosseguir; responder; lembrar(se); protestar; responsabilizar-se; ver; limitar-se a dizer; provocar; ressaltar; vibrar; manifestar-se; queixar-se; ressalvar; vociferar; maravilhar-se; questionar; ressentir-se; zombar.

Nenhum comentário