A nova geração do Rap Nacional


Na década de 90, grupos como Planet Hemp, Racionais MC’s, Facção Central, entre outros, surgiram no meio musical. Eles lançaram seus cd’s nas lojas, divulgaram seu trabalho no ‘’boca a boca’’, deram a cara pra bater em busca do reconhecimento. Agora, Cone Crew Diretoria, Cacife Clandestino, e muitos outros, produzem videoclipes, disponibilizam discos pra download, e daí sim, ganham os palcos.

            O Brasil está vivendo um novo momento do Ritmo e poesia. As composições que antes tinham como tema as classes sociais, a crítica à polícia, a rivalidade entre os guetos, agora se misturam com letras que falam da família, de uma noite de festa, do jeito certo de conquistar aquela “mina’’. O ritmo da música, a ‘’batida’’, está melhor produzida pelo surgimento de equipamentos cada vez mais avançados, sem precisar utilizar bandas físicas. O que antes muitos grupos utilizavam.
            Ganhando cada vez mais espaço, até nas rádios onde era extinto, esse novo rap tem outra característica muito marcante: juntar-se com outros estilos, com artistas de outros gêneros. Proposta essa, que está dando bons frutos, e acaba mostrando que não existe preconceito. O que se têm é a defesa pela boa música.

Nenhum comentário