Ayrton Senna

Ayrton Senna da Silva, respeitado até hoje como um dos maiores pilotos do Planeta, em todos os tempos, nasceu em São Paulo, no Brasil, em 21 de março de 1960. Apesar de, na infância, sentir o peso de uma avaliação médica que apontava distúrbios de coordenação motora, iniciou sua carreira automobilística ao receber do pai, Milton, poderoso empresário, um Kart com 1 HP de potência, quando ainda era um menino. Percebendo o potencial da criança e sua paixão por automóveis, ele o estimulou a treinar nos fins-de-semana.




Aos dez anos ele ganhou outro Kart, desta vez um modelo próprio para competições, com motor de 100cc, embora ainda não tivesse a idade adequada para participar de corridas oficiais, o que ocorreu apenas três anos depois, em 1973, quando ele estreou no circuito do automobilismo, no campeonato brasileiro de kart, saindo vitorioso logo na primeira vez, em Interlagos, no dia 1° de julho. Logo depois ele conquistou o campeonato sul-americano, em 1977, repetindo um ano depois a mesma façanha. Nesta mesma categoria, na modalidade mundial, ele alcançou a posição de vice-campeão.



Na seqüência de sua trajetória, Senna seguiu para a Europa, ainda no karting, obtendo em Le Mans um feito admirável ao se posicionar em sexto lugar em uma competição internacional, com a escassa experiência que ele tinha em circuitos fora de seu país. Então, em 1981, ele assinou um contrato com a equipe Van Diemen, competindo assim na Fórmula Ford 1600, entre os ingleses, vencendo em duas classes simultaneamente. Um ano depois ele sagrou-se campeão nos circuitos europeu e inglês da Fórmula Ford 2.000.



Daí até a oportunidade de disputar a Fórmula 3 na Inglaterra, foi um passo. Esta modalidade era, naquele tempo, um meio de se testar o potencial de um piloto. Na direção de um Ralt-Toyota, Senna disputou a preferência do público com o inglês Martin Brundle, conquistando a vitória nas primeiras nove corridas daquele ano, já prenunciando a persistência férrea e a ânsia de conquistar vitórias que seriam características marcantes deste campeão. O triunfo no Grande Prêmio de Macau, na China, nesta temporada, lhe propiciou o convite para efetuar testes na Fórmula 1, na McLaren e na Brabham, sendo rejeitado nesta equipe, segundo alguns, por interferência de seu primeiro piloto, Nélson Piquet. Ele segue então para a despretensiosa Toleman, em 1984, com um contrato garantido por três anos.



Senna inicia sua jornada automobilística na Fórmula 1 em seu próprio país, no Autódromo de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, mas seu carro apresenta problemas e ele deixa a corrida logo na oitava volta. Foi em Mônaco que ele teve sua grande oportunidade, correndo sob intensa chuva. Ele foi, aos poucos, conquistando posições cada vez mais destacadas, chegando a atingir a segunda colocação, logo atrás de Alain Prost, com a diferença entre ambos decaindo cada vez mais; a corrida, porém, foi suspensa antes do final, na 32ª volta. Apesar desta polêmica decisão, o futuro campeão sai da competição consagrado como revelação do ano. Ele se transfere para a Lotus, mas mesmo bem-sucedido em Estoril e na Bélgica, ele se revela insatisfeito com ela e assina com a McLaren para a temporada de 1988, lado a lado com Prost.



Senna foi conquistando cada vez mais vitórias, obtendo quase todas as poles, o que gerou uma adversidade sem igual entre ele e seu companheiro de equipe, Prost, o que se estendeu também para fora das pistas. Eles chegaram a romper o tradicional acordo entre ambos de que não haveria ultrapassagens entre eles. Isto gerou sérios problemas na temporada de 1989, quando no momento que antecede a reta principal, Senna ultrapassou Prost em uma manobra forçada, provocando uma colisão entre ambos; o francês deixa a corrida, Ayrton vence, é desclassificado e critica a decisão da McLaren, sendo punido pelo presidente da FISA – Federação Internacional de Automobilismo Esportivo -, Jean-Marie Balestre.



Senna é obrigado a pagar uma multa alta, a se desculpar com esta organização, mas Prost se rebela e muda para a Ferrari. Em 1990 o campeão alcança mais uma vez a vitória do campeonato; um ano depois ele conquista o tricampeonato; em 1994 ele deixa a McLaren e segue para a equipe com a qual vinha sonhando, a Williams, mas tem dificuldades de adaptação. Embora conquiste as poles no Brasil e no Pacífico, ele é obrigado a deixar as duas corridas, vencidas pelo alemão Michael Schumacher.



A próxima competição é a de Ìmola, a inesquecível e trágica corrida que ceifa a vida do piloto apaixonado pela Fórmula 1, um dos mais admirados e respeitados no mundo todo. Esta corrida, desde o início, fora sombria, com o acidente de Rubens Barrichello nos primeiros treinos, a morte de Ratzemberg nos treinos oficiais. No domingo, de uma forma triste e violenta, Senna deixa as pistas de corrida e parte para novas jornadas, no dia 1º de maio de 1994, durante o GP de San Marino. Discreto, Senna teve uma vida amorosa igualmente reservada. Seus amores mais conhecidos são a apresentadora Xuxa Meneghel e a modelo Adriane Galisteu. Ele também cultivava com carinho a administração da marca Senna, elaborada em princípios da década de 90

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.
UA-98132943-1