Empresa Jornalística


De acordo com o decreto nº 83.284, de 13 de março de 1979, caracteriza: Art. 3º – considera-se empresa jornalística, para os efeitos deste decreto, aquela que tenha como atividade a edição de jornal ou revista, ou a distribuição de noticiário, com funcionamento efetivo, idoneidade financeira e registro legal. 1º Equipara-se à empresa jornalística a seção ou serviço de empresa de radiodifusão, televisão ou divulgação cinematográfica, ou de agencias de publicidade ou de noticias, onde sejam exercidas as atividades previstas no art. 2º.

Entre os segmentos que o jornalismo pode ser exercido está o empresarial. E ele se aplica na atuação jornalística interna dos ocorridos de uma empresa ou outra organização, a fim de realizar a produção de veículos jornalísticos direcionados para a circulação entre os próprios funcionários e executivos de uma ou mais empresas. Entre os recursos estão murais, jornais internos, boletins, intranet, entre outros.

Faz alguns anos, antes mesmo da popularização da internet, as grandes empresas já procuravam se adequar a este veículo de comunicação que revolucionou o tempo e o espaço, a circulação de informações.  E além de dialogar com o público alvo, passaram a aplicar o conhecimento da atividade jornalística para se colocarem internamente com os colaboradores e parceiros; inclusive apresentando executivos se tornaram referencia ao possuírem um público leitor dentro de suas próprias empresas.

Outro exemplo da atuação jornalística dentro das empresas é a assessoria de imprensa, cada vez mais presente nas grandes organizações, ou mesmo as pequenas que já compreenderam a importância de fazer uma comunicação clara e eficiente de sua identidade. E dentro de uma assessoria de imprensa, todos os integrantes podem ser “pauteiros” do ponto de vista que todos são capazes de associar fatos, perceber conexões que existem entre um fato (o que aconteceu, acontece ou irá acontecer) e seus desdobramentos.

Dentro das opções de pautas para o Jornalismo Empresarial podemos incluir a cobertura de eventos (comunicação de decisões da administração, fusões entre empresas, investimentos, desligamentos, confraternizações, comemorações sobre atingir uma meta), as promoções de produtos e serviços (bem como decisões da diretoria e outros departamentos da empresa), interferências públicas (por exemplo, leis e modificações de conduta no segmento em que a empresa atua) e a rotina da organização.

Boas pautas empresariais estão relacionadas com bons fatos, ocorrências que podem gerar visibilidade abordada do ponto de vista jornalístico, fatos que possam repercutir positivamente na comunidade interna e externa. Para que haja sucesso nesta iniciativa é fundamental que a notícia seja verdadeira. Embora seja totalmente compreensível que a liderança de uma empresa, assim como o senso comum, queira ressaltar somente os pontos positivos entendendo que para isto seja necessário noticiar somente os bons acontecimentos; a existência de uma assessoria de imprensa ou departamento de comunicação dentro de uma empresa (sendo estes compostos por profissionais experientes ou qualificados) passa a compreender que até mesmo os fatos negativos ou algum resultado que não foi obtido como esperado pode sim ser trabalhado de forma a gerar resultados positivos.

Para tal, o jornalismo empresarial deve gerar o diálogo entre a “pessoa corporativa” e seu público, e cumprir seu papel de comunicar-se de forma transparente, honesta, basear-se em dados confiáveis, enfim, deve cumprir o papel de circular a informação a fim de amenizar danos e conquistar resultado satisfatório.

 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.
UA-98132943-1