Fernandão


Fernando Lúcio da Costa, mais conhecido como Fernandão (Goiânia, 18 de março de 1978Aruanã, 7 de junho de 2014), foi um futebolista, treinador, dirigente e comentarista esportivo brasileiro, que atuou como atacante.

Carreira

Futebolista

Iniciou sua carreira nas categorias de base do Goiás como meia, e aos dezesseis anos passou a jogar bola no time profissional. Foi no Esmeraldino onde passou a ter destaque no cenário futebolístico, entre 1995 e 2001, quando conquistou cinco Campeonatos Goianos, duas Copas Centro-Oeste e um Brasileiro da Série B na posição de meio-campo.

Devido ao seu futebol de grande técnica e seus cabeceios certeiros, teve a oportunidade de ir para a Europa, onde jogou pelo Olympique de Marseille, por quase três anos, depois foi transferido para o Toulouse, também da França. Lá começou a jogar como atacante.

Na volta para o Brasil, Fernandão foi para o Internacional, sendo que Fernando Carvalho, presidente do Internacional na época, fez grande esforço para contratar o jogador. Foi no Inter onde atingiu seu melhor momento no futebol. Logo em seu jogo de estreia, marcou o milésimo gol da história do Clássico Grenal, feito que lhe rendesse uma placa e o fez cair nas graças da torcida colorada.

Após se adaptar rapidamente ao futebol gaúcho, chegou a vestir a camisa da Seleção Brasileira em uma partida amistosa contra a Seleção da Guatemala.

Em 2006, Fernandão foi o capitão do time que deu ao Internacional os seus dois maiores títulos: a Copa Libertadores da América e a Copa do Mundo de Clubes da FIFA. Ele foi decisivo, marcando um gol e dando passe para o outro na grande final da Libertadores contra o São Paulo, partida na qual foi eleito pela patrocinadora do torneio melhor jogador em campo.

Na conquista da Copa Dubai de 2008 foi fundamental para o Inter, fazendo um gol de fora da área contra a Internazionale.

Em 14 de junho de 2008, foi anunciada a sua transferência para o Al-Gharafa. Fernandão saiu do Internacional como um dos maiores ídolos da história do time. E prometeu voltar ao clube futuramente, seja como dirigente, seja como jogador, ou seja, como torcedor, sendo considerado por muitos como o maior ídolo da história colorada.

No dia 30 de julho de 2009, rescindiu seu contrato com o Al-Gharafa e, após muita especulação por parte de vários clubes, como São Paulo, Internacional e Santos, acertou com o clube que o revelou, o Goiás.

No dia 6 de maio de 2010, o São Paulo anunciou a contratação de Fernandão até o fim de 2011. Em sua estreia, desequilibrou o duelo válido pelas quartas-de-final da Copa Libertadores, contra o Cruzeiro no Mineirão, originando as jogadas dos dois gols; o último inclusive com um passe de calcanhar. No dia 23 de maio, em jogo válido pela 3ª rodada do Campeonato Brasileiro, Fernandão marcou seu primeiro gol com a camisa são-paulina, ironicamente contra o Internacional, clube onde se tornou ídolo, e no Estádio Beira-Rio. A partida terminou com a vitória do São Paulo por 2 a 0.

No dia 9 de maio de 2011, São Paulo e Fernandão acertaram a rescisão amigável do contrato. Com a camisa do São Paulo fez oito gols, todos pelo Campeonato Brasileiro de 2010, em 39 partidas.

Dirigente

Depois de anunciar sua aposentadoria do futebol no dia 19 de julho de 2011, foi anunciado como diretor executivo do Internacional.

Técnico

Em 20 de julho de 2012, foi confirmado como novo técnico do Internacional, substituindo Dorival Júnior. Seu auxiliar foi o ex-goleiro André, e essa foi à primeira experiência de Fernandão como treinador. Fez sua estreia em 22 de julho, na goleada por 4 a 1 sobre o Atlético Goianiense, no Beira-Rio, com gols de Elton, Dagoberto, Jajá e Fred, que foi uma aposta de Fernandão para iniciar o jogo e acabou sendo o grande destaque da partida. No jogo seguinte, venceu o Figueirense, no Estádio Orlando Scarpelli, por 1 a 0, gol de Dagoberto. Na 3ª partida, empatou em casa com o até então vice-líder do campeonato Vasco da Gama, sem gols.

Em 20 de novembro, contudo, Fernandão, após obter apenas 44,9% de aproveitamento como treinador do Colorado, foi demitido pela diretoria. Antes de sair, porém, o ex-capitão trocou farpas com o zagueiro Bolívar, que se recusou a ficar no banco de reservas na partida contra o Corinthians. Atualmente, era comentarista do canal pago SporTV.

Morte

Fernandão morreu em 7 de junho de 2014, aos 36 anos, na queda de um helicóptero. O helicóptero Helibrás HB-350BA Esquilo, prefixo PT-YJJ, caiu por volta de 1h30min em Aruanã, cidade do interior de Goiás, causando a morte de todos os seus cinco tripulantes. No momento da chegada dos primeiros socorros, o ex-jogador foi o único dos tripulantes que sobreviveu à queda, porém veio a falecer a caminho do hospital. Além de Fernandão, estavam no helicóptero mais quatro amigos: Edmilson de Souza Leme (vereador de Palmeiras de Goiás), Antônio de Pádua "Bidó" (primo de Marconi Perillo), Lindomar Mendes Vieira (funcionário de uma fazenda) e o piloto Milton Ananias.

Estatísticas

Como treinador do Internacional

Clube
Jogos
Vitórias
Empates
Derrotas
Aprov.
Internacional
26
9
8
9
44,87%

Como jogador da Seleção Brasileira

Data
Competição
Local
Placar
Adversário
Gols
1
3 – 0
0

Títulos

Como jogador

Goiás


Internacional


Al-Gharafa


Como dirigente

Internacional



Outras Conquistas

Internacional


Prêmios Individuais



Artilharias

Internacional

Nenhum comentário