Ilusionismo


Na definição do Grande Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa, ilusionismo é arte de criar ilusão por meio de artifícios e truques; prestidigitação. Esta arte cênica é utilizada para entreter as pessoas, criando ilusões que as levam a ficar confusas e se surpreender com manobras inesperadas. Normalmente, quem executa este tipo de espetáculo é um mágico ou ilusionista, que é tido pelo público como uma pessoa com poderes fora do comum. Entretanto, todos os truques são planejados minuciosamente antes de cada apresentação, são feitos com meios naturais e praticados pelo ilusionista e uma equipe de ajudantes, muitas vezes infiltrados na própria plateia.

Para enganar o público, o mágico treina movimentos rápidos, manipula equipamentos e outros acessórios que são utilizados nos números. Entre os truques mais conhecidos estão o jogo dos espelhos, transformações, desaparecimentos, leitura de pensamentos, encaixotamentos, números com espadas e cerramentos de pessoas ao meio. Resumindo, tudo que desafia a razão da mente humana.

A história do ilusionismo nos remete ao século XVIII, quando a prática ganhou prestígio em países da Europa. Com o tempo, foi se transformando até virar uma forma e popular de diversão e um negócio lucrativo para mágicos profissionais. Um dos nomes mais influentes desta prática foi Jean Eugène Robert-Houdin, grande ilusionista francês daquele século. Ele inaugurou um teatro dedicado somente à prática da magia que funcionou na cidade de Paris (França) a partir de 1840.

Além de Robert-Houdin, outro nome importante da prestidigitação foi Houdini, conhecido com o Rei das Fugas. Porém, ele faleceu com a prática do ilusionismo em um episódio que marcou a história desta arte cênica. Aconteceu que um boxeador, não acreditando nas palavras de Houdini, que dizia ser capaz de aguentar um soco forte na barriga sem sentir nenhuma dor, aplicou-lhe um golpe inesperado, antes que o mágico estivesse preparado para realizar o truque. Houdini faleceu em outubro de 1926 devido a complicações posteriores aos golpes.

Apesar de o ilusionismo ter sido uma arte de prestígio durante o século XIX, no século XX os mágicos continuaram com grandes espetáculos e apresentações. Um dos principais nomes foi Doug Henning, ilusionista muito popular nos Estados Unidos nos anos 70 e 80. Seu trabalho foi continuado por seu pupilo, David Copperfield, que combinava sua habilidade de contar histórias com ilusões espetaculares. Outro ilusionista famoso era o Mr. M, que, ao contrário de seus companheiros, ao invés de iludir a audiência, revelava as artimanhas utilizadas para fazer os truques.

Nenhum comentário