National Geographic Society


Criada em 1888 nos Estados Unidos por meio de uma ação conjunta entre 33 pessoas interessadas na organização de uma sociedade que difundiria o conhecimento geográfico, a National Geographic Society (Sociedade Geográfica Nacional) teve como primeiro presidente o filantropo e advogado Gardnier Greene Hubbard. Ele foi sucedido por Alexander Graham Bell, que fundou e inventou a companhia telefônica Bell. O objetivo inicial da organização era tornar mais acessível e ampliar o conhecimento de geografia no mundo, organizando expedições de exploração e iniciando a publicação da The National Geographic Magazine, uma das revistas mais importantes do segmento.

A publicação da National Geographic ocorreu após nove meses de funcionamento da sociedade. Notavelmente, a revista é conhecida no mundo todo por apresentar uma moldura na cor amarela enquadrando suas capas. Distribuída mensalmente, com a realização esporádica de edições específicas, a publicação contempla diversos temas como histórias sobre locais inóspitos da Terra e curiosidades sobre a geografia de cada região do globo, além das grandes reportagens realizadas pelos experientes e renomados profissionais e fotógrafos de seu corpo editorial. As fotografias, aliás, são um dos pontos altos do periódico, sendo que muitas se tornaram ícones das respectivas regiões que representam e da diversidade de etnias ao redor do mundo.

Essa característica da revista ganhou notoriedade na edição de 1984, quando foi publicada na capa a fotografia do rosto de uma jovem com olhos marcantes e bonitos, que era uma das refugiadas do Afeganistão. A imagem tornou-se tão famosa quanto a foto de Che Guevara (Guerrilheiro Heroico) e a de Marilyn Monroe com as saias levantadas pelo vento. Após a fama internacional, descobriu-se em 2002, após a invasão dos Estados Unidos ao Afeganistão, que a garota da foto chama-se Sharbat Gula. A história da vida da jovem foi apresentada em grande reportagem em uma edição de março de 2003 da National Geographic.

Entre outros elementos marcantes da National Geographic estão os minuciosos mapas publicados pelos exploradores de diversas regiões do planeta e a sua utilização pelo governo norte-americano, ajudando a ampliar os recursos de cartografia do país, que antes da revista apresentavam sérias limitações. Com milhares de assinantes e a tradição de ser uma publicação do final do século XIX, o periódico tornou-se um item de colecionador e suas edições mais antigas tem alto valor em sebos e lojas de antiguidades. Uma curiosidade é que, até 1960, as capas da revista apresentavam somente textos, sendo que as fotos começaram as ser estampadas na capa naquele mesmo ano.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.
UA-98132943-1