O Livro de Urântia

O Livro de Urântia é uma criação literária enriquecida por 197 textos elaborados na língua inglesa arcaica, vertida hoje para outros idiomas; sua filosofia atua como fundamento ideológico para várias escolas religiosas e filosóficas. A trajetória de seus documentos abarca pelo menos 50 anos, de 1906 a 1955, quando entidades desprovidas de matéria, portadoras de uma inteligência que transcende a humana, se uniram a seis seres humanos na sistematização desta obra.




Estes seres pretensamente não humanos pertencem a diferentes categorias; o documento por eles compilado revela as fontes, a trajetória e a meta final da humanidade, configurando para os que o lêem um novo conhecimento sobre o Homem e sua história, uma surpreendente e inspiradora jornada.



Embora a autoria humana deste livro seja de total desconhecimento até os tempos atuais, o que tem motivado a elaboração de inumeráveis hipóteses sobre sua veracidade, sabe-se que entre os integrantes dos mortais estava o Doutor William S. Sadler, um renomado psiquiatra, ativo caçador de médiuns e eventos mediúnicos falsos. Além disso, ele participou, ao lado de Freud, Jung e Adler, de discussões psicanalíticas.



Justamente por este livro conciliar ciência, filosofia e religião, e por isso constituir um guia claro e seguro para a Humanidade, ele tem o dom de oferecer subsídios para religiões e filosofias de todos os pontos do Planeta; por outro lado, ele não deu ensejo à formação de religiões institucionais.



Até agora apenas comunidades estabelecidas para estudar seu conteúdo, fundações, sociedades e outros grupos foram estabelecidos em torno de seus ensinamentos. Várias lideranças espirituais e organizações diversas têm sido estimuladas e inspiradas por suas diretrizes. Seu conteúdo edifica-se sobre tradições religiosas ancestrais e modernas, e se sustenta sobre os pilares da fé e do trabalho edificante.



Neste livro está contida a Quinta Revelação de Urântia, que esclarece seu nascimento e a forma como chegou às mãos humanas. Ao que parece os textos que o compõem foram enviados pelos poderes que envolvem a mais elevada instância divina. Antes deste novo conhecimento houve outras quatro revelações.



A primeira delas é a Dalamátia, que discorre sobre a vinda de um Príncipe Planetário que criou em Urântia a cidade-modelo denominada Dalamátia. Desta região irradiaram-se os primeiros ensinamentos sobre o Criador. Depois é a vez de Adão e Eva; eles vieram ao Planeta há praticamente 38 mil anos, e se fixaram no Jardim do Éden; suas lições resumem a segunda revelação.



A terceira é a de Melquisedeque; um dos membros desta ordem abraçou a tarefa de vir a este mundo para reacender a chama da verdade, que estava à beira do desaparecimento. Ele foi contemporâneo de Abraão, e era denominado Melquisedeque, o sábio de Salém. Jesus foi o autor da quarta revelação.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.
UA-98132943-1