Primavera e outono Chinês

O período denominado Primavera e Outono Chinês é aquele que se passa entre 770 e 446 a.C e recebe tal nome devido as crônicas históricas chinesas (conhecidas também como “Os Anais de Primavera e Outono”), atribuídas a Confúcio (nome latino do pensador Chinês Kung-Fu-Tse).




Nesses Anais, Confúcio (551-479 a.C) narra os principais acontecimentos da sua terra natal, além de expor algumas das condições decadentes da politica feudal. Más também ele tenta estabelecer um padrão de valores morais que proporcionariam um bom regime feudal.



Nesse período relatado (de 770 a 446 a.C), aproximadamente 170 estados familiares nobres dominavam fora do controle central. Cada estado formava alianças e ligas entre si, e também travavam batalhas tentando dominar um ao outro. Em meio a essas guerras, surgiram pensadores que propunham bases teóricas afim de uma sociedade humana em harmonia. Esses pensadores tentavam inspirar reis a procurar viver em harmonia sob o domínio de um único rei, como contava uma determinada lenda de uma época que a China era unificada. Confúcio era um desses pensadores, e fazia parte de um grupo especifico dessa época. De acordo com Yasushi Inoue, autor do livro “Confucius”, nos mostra que centenas de escolas de pensamento da China não conseguiam amenizar a desordem, e o confucionismo só tornaria uma filosofia influente séculos depois.



Além disso, a China nesse determinado momento, estava passando por um crescimento econômico muito grande, acompanhado também por um crescimento demográfico e por um crescimento agrícola, onde começaram a surgir as ferramentas e infraestruturas hídricas, que fizeram com que a produção aumentasse muito. Tal momento ainda era marcado pela soberania da dinastia Zhou (a dinastia com maior duração em toda história Chinesa).



Uma das características fundamentais desse período se refere a agricultura. Em muitos casos, todas as práticas agrícolas eram controladas pelo próprio governo. As terras controladas pelos nobres eram “emprestadas” para os servos (funcionava como um feudalismo europeu) e dessa maneira tudo ficava sob os olhos dos governantes, em alguns momentos o governo até mesmo armazenava comida e distribuía para a população em tempos de colheitas ruins.



Alguns “empresas” do setor fabril do período incluíram à produção agrícola a produção do bronze, que era usado integralmente na produção de armas e ferramentas agrícolas, e posteriormente foi introduzido também o ferro, que também estava presente nesse período. Novamente toda essa produção estava também sob controle da nobreza Chinesa.

Nenhum comentário