Qatar

Gentílico: qatarense; catarense; qatariano; catariano
Mapa do Qatar

Capital: Doha

Cidade mais populosa: Doha

Língua oficial: Árabe





Governo: Monarquia Absoluta



Emir: Sheikh Hamad bin Khalifa Al Thani



Primeiro-Ministro: Hamad bin Jassim bin Jaber Al Thani



Independência do Reino Unido: Data 3 de Setembro de 1971


Área Total: 11 437 km²


População: 835 924 habitantes

Densidade: 75 hab./km²


PIB Total: US$ 75,224 bilhões

Renda Per capita: US$ 80 870


Indicadores sociais (IDH): 0,910 – muito elevado



Esperança de vida: 75,6 anos



Mortalidade infantil: 8,2/mil nasc.




Alfabetização: 93,1% da população alfabetizada


Moeda: Rial do Qatar (QAR)


Código da  Internet:. qa


Código telefônico: +974



O Qatar ou Catar (mais raramente Quatar ou Katar) é um país árabe, conhecido oficialmente como um emirado do Oriente Médio, ocupando a pequena Península do Qatarna costa nordeste da Península Arábica. Faz fronteira com a Arábia Saudita ao sul, e o Golfo Pérsico envolve o resto do país. Um estreito do Golfo Pérsico separa o Qatar da nação insular vizinha, o Bahrein.

O Qatar é um país rico em petróleo e gás natural, com a terceira maior reserva de gás e o primeiro ou segundo maior maior PIB per capita do mundo. Uma monarquia absoluta, o Qatar foi governado pela família al-Thani, desde meados de 1800 e desde então transformou-se de um protetorado britânico, notável principalmente pela extração de pérolas, em um Estado independente com receitas significativas de petróleo e do gás natural.


Durante os anos 1980 e início de 1990, a economia do Qatar foi prejudicada por um desvio contínuo de suas receitas petrolíferas pelo Emir, que tinha governado o país desde 1972. Seu filho, o atual Emir Hamad bin Khalifa al-Thani, o derrubou em um golpe de Estado em 1995. Em 2001, o Qatar resolveu suas disputas fronteiriças de longa data com o Bahrein e com a Arábia Saudita.

Em 2011, o Qatar irá sediar a Copa da Ásia com o último jogo a ser realizado no Khalifa International Stadium.

História


O Qatar é um dos muitos novos emirados na Península Arábica. Depois de ser dominado pelos persas durante milhares de anos e, mais recentemente, pelo Bahrain, pelos turcos otomanos e pelos britânicos, o Qatar transformou-se num país independente a 3 de Setembro de 1971. Ao contrário da maior parte dos emirados vizinhos, o Qatar recusou tornar-se parte da Arábia Saudita ou dos Emirados Árabes Unidos.

A descoberta de petróleo, com início na década de 1940, transformou por completo a economia da nação. Antes, o Qatar era uma região pobre, dependente da pesca e das pérolas, com pobreza generalizada. Hoje, o país tem um nível de vida elevado e todas as amenidades de uma nação moderna.

Geografia

O país ocupa toda a península de Qatar, na costa noroeste da península Arábica, junto ao Golfo Pérsico. O clima é seco e bem quente, e o território é plano e desértico.

O seu fuso horário é +3h. Ocupa uma área de 11.437 km². O seu clima é árido tropical. As principais cidades são Doha (com 392.384 habitantes), Ar-Rayyan (com 165.127 habitantes), Al-Wakrah (com 33.891 habitantes) e Umm Sa'id (com 19.194 habitantes) (dados de 1995).

Política

A política do Qatar pode resumir-se da seguinte maneira:

• Forma de governo: monarquia.

• Divisão administrativa: 9 municipalidades.

• Partidos políticos: não há.

• Legislativo: não há.

• Constituição em vigor: 1970 (provisória).

Subdivisões
As divisões do emirados que forma o Qatar

O Qatar está dividido em 9 governorados (muhafazat, singular - muhafazah):

1. Ad Dawhah

2. Al Ghuwariyah

3. Al Jumaliyah

4. Al Khawr

5. Al Wakrah

6. Ar Rayyan

7. Jariyan al Batnah

8. Madinat Ash Shamal

9. Umm Salal

10. Mesaieed



Economia



O Qatar tem experimentado um rápido crescimento econômico ao longo dos últimos anos graças aos elevados preços do petróleo e em 2008 publicou seu oitavo superávit orçamentário consecutivo. A política econômica é focada no desenvolvimento não associado às reservas de gás natural e em aumentar o investimento privado e estrangeiro em setores não-energéticos, mas o petróleo e o gás ainda representam mais de 50% do PIB do país, cerca de 85% das receitas de exportação e 70% das receitas do governo.

O petróleo e o gás deixaram o país com a segunda maior renda per capita - na sequência de Liechtenstein - e com um dos mais rápidos crescimentos econômicos do mundo. As reservas descobertas de petróleo, estimadas em 15 bilhões de barris, deverá permitir a continuação da produção nos níveis atuais por mais 37 anos. As reservas descobertas de gás natural do Qatar são de cerca de 26 trilhões de metros cúbicos, cerca de 14% das reservas totais do mundo e a terceira maior reserva do planeta.

Antes da descoberta do petróleo, a economia da região do Catar era centrada na pesca e na extração de pérolas. Após a introdução da pérola japonesa cultivada no mercado mundial em 1920 e 1930, a indústria de pérolas do Catar entrou em declínio. No entanto, a descoberta de petróleo, no início dos anos 1940, transformou completamente a economia do Estado. Agora, o país tem um alto padrão de vida, com muitos serviços sociais oferecidos aos seus cidadãos e todas as comodidades de qualquer Estado moderno.

O rendimento nacional do Catar deriva principalmente das exportações de petróleo e gás natural. O país tem reservas de petróleo de 15 bilhões de barris (2,4 km³), enquanto as reservas de gás da gigante do Campo Norte, que fica na fronteira com o Irã e é quase tão grande quanto a própria península onde se localiza o país, são estimados entre 2.300 km³ a 23.000 km³ (que equivale a cerca de 80 milhões de barris (13 milhões m³) de petróleo). O Qatar é muitas vezes referido como a Arábia Saudita do gás natural. A riqueza e o padrão de vida do Qatar se comparam com os dos Estados da Europa Ocidental, tendo o país o maior PIB per capita no mundo árabe de acordo com o Fundo Monetário Internacional (2006)[7] e o segundo maior PIB per capita no mundo segundo o CIA World Factbook.[6] Com nenhum imposto de renda, Qatar, juntamente com o Bahrein, é um dos países com as menores taxas de impostos do mundo.





Aspire Tower, construída para os Jogos Asiáticos de 2006 e localizada na Zona Aspire, é visível em toda a cidade de Doha.

Enquanto o petróleo e o gás permanecerão, provavelmente por algum tempo ainda, como sendo a espinha dorsal da economia do Qatar, o país pretende estimular o setor privado e desenvolver uma "economia baseada no conhecimento". Em 2004, o governpo estabeleceu o "Parque Científico e Tecnológico do Qatar" para atrair e manter empresas de base tecnológica e empresários do exterior no Qatar. O país também criou a "Cidade da Educação", que consiste em campis de universidades internacionais. Para os 15º Jogos Asiáticos em Doha, foi construída a "Cidade dos Esportes de Doha", que consiste no estádio Khalifa, no ASPIRE Dome, centros aquáticos, centros de exposições e de muitos outros esportes e centros de edifícios relacionados. Após o sucesso dos Jogos Asiáticos, Doha foi postulante a candidata para osJogos Olímpicos de Verão de 2016,mas foi eliminada em agosto de 2008.[8] Qatar também planos para construir uma "cidade do entretenimento" no futuro.

O Qatar pretende se tornar um modelo em transformação econômica e social na região. O investimento em larga escala em todos os setores sociais e econômicos também levam ao desenvolvimento de um mercado financeiro forte.

O "Centro Financeiro do Qatar" (CRC) oferece às instituições financeiras com os serviços de classe mundial em investimento, margem e empréstimos sem juros, e apoio ao capital. Estas plataformas estão situados em uma economia baseada no desenvolvimento de seus recursos de hidrocarbonetos, mais especificamente a sua exportação de petróleo. Ela foi criada com uma perspectiva de longo prazo para apoiar o desenvolvimento do Catar e da região, desenvolvendo os mercados locais e regionais e reforçando os laços entre as economias baseadas em energia e entre os mercados financeiros globais.

Além do Qatar em si, que precisa levantar capital para financiar projetos de mais de US$ 130 bilhões, o CRC também oferece um canal para as instituições financeiras para o acesso de quase US$ 1,0 trilhão de investimentos que se estendem ao longo do GCC (Conselho de Cooperação dos Estados Árabes do Golfo) como um todo durante a próxima década.

Em dezembro o Qatar estará concorrendo com Estados Unidos, Coreia do Sul, Austrália eChina para ser sede da Copa do Mundo de 2022 e espero que consiga.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.
UA-98132943-1