Scuderia Ferrari


Enzo Ferrari nasceu em 1898. Iniciou na fábrica Alfa Romeo nos anos de 1920. Trabalhou nessa fábrica como mecânico piloto e diretor de equipe.
Em 1929, criou a Scuderia Ferrari, a primeira equipe de corrida de automóvel independente das fábricas automotivas, mas com vínculo administrativo com a Alfa Romeo. No primeiro ano, a Ferrari venceu sete corridas, quatro em Cortese, duas em Nuvolari e uma em Sommer, num total de quatorze provas disputadas.
Em 1939, Enzo Ferrari abandona a Alfa Romeo. Durante a segunda guerra, fabrica veículos e equipamentos para a agricultura, mas sem prensar o seu nome em seus veículos, em respeito a contratos ainda vigentes com a Alfa Romeo. Em 1946, constrói o carro Ferrari 125 s, sob sua própria marca.
Enzo Ferrari sempre teve o projeto de fabricar vários tipos de carros para cada tipo de situação específica; em 1948, cria o monoposto de GP, com o motor 125 F1 (1500 cc). O modelo disputou a corrida da Itália naquele mesmo ano, conquistando o terceiro lugar.
Desde então, a equipe já conquistou mais de cinco mil vitórias, participando da Fórmula 1, do World Sportcar Championship e promove na Europa, EUA e América Latina o campeonato Ferrari Challenger, com carros ferraris 355.
Em 1969, parte das ações da empresa Ferrari foi adquirida pela Fiat. Neste mesmo ano a Ferrari começou a circular no Brasil, sua importação foi proibida entre os anos de 1974 e 1990, a importação voltou a ocorrer a partir de 1993 e se fortaleceu a partir de 1996.
Sede
A equipe foi inicialmente baseado em Modena desde a sua fundação e pré-guerra até 1943, quando Enzo Ferrari mudou a equipe para uma nova fábrica em Maranello em 1947, e ambos a Scuderia e a fabrica Ferrari permanecem em Maranello até hoje. A equipe possui e opera uma pista de testes no mesmo local, o Circuito de Fiorano construído em 1972, que é usado para testar carros de rua e de corrida.

Nome e Logotipo
A equipe tem o nome de seu fundador, Enzo Ferrari. O cavalo rampante era o símbolo do avião de caça de Francesco Baracca na I Guerra Mundial e logo depois tornou-se o logotipo da Ferrari depois de os fundadores da Ace Fallen, bons amigos de Enzo Ferrari, pedirem-lhe para continuar sua tradição de cavalheirismo esportivo e ousadia.
Curiosidades
O Brasil possui a maior bandeira de Fórmula 1 do mundo com o símbolo da Ferrari.
O Circuito de Imola na República de São Marino (Itália) tem o nome do Fundador da Ferrari, Enzo, e de seu filho Dino, falecido precocemente.
No Grande Prémio da Áustria de 2002, a Equipe Ferrari foi extremamente vaiada por um jogo de equipe que culminou na vitória de Michael Schumacher sobre seu companheiro de equipe, Rubens Barrichello, que abriu passagem ao alemão metros antes da bandeirada final.
Na decisão do título mundial de F1 de 1997, o piloto argentino Norberto Fontana, segundo entrevista a um jornal argentino, recebeu ordem do diretor da Ferrari, Jean Todt, de bloquear a passagem do rival canadense Jacques Villeneuve. Sua equipe competia com motores Ferrari naquela época. O argentino abriu passagem para Schumacher e bloqueou o Villeneuve. Fontana, entre outras coisas, disse:
Tocou-me a mim. Tapei-o durante três ou quatro curvas, prejudicando-me. E nem Schumacher nem Todt me agradeceram.
— Norberto Fontana
Na mesma decisão do campeonato de 1997 houve um acordo entre Williams e McLaren com o intuito de prejudicar a Ferrari.
David Coulthard quase foi demitido da McLaren por não concordar com esse acordo.

Bernie Ecclestone, por causa da punição sofrida por Fernando Alonso, da Renault, no Grande Prêmio da Itália de 2006, disse:
Isto aconteceu porque a Ferrari é a única equipa que recebe apoio político da FIA.
— Bernie Ecclestone
A Ferrari também é a equipe mais vitoriosa e bem sucedida da história da F1. No Grande Prêmio da China de 2007 a equipe atingiu a incrível marca de 200 triunfos em GPs.

No Grande Prêmio da Alemanha de 2010 a equipe repetiu a antiética manobra feita no Grande Prêmio da Áustria de 2002 quando foi vaiada após Michael Schumacher tirar a vitória de Rubens Barrichello então segundo piloto da equipe ordem de inverter as posições de seus pilotos após obrigar Felipe Massa a ceder a liderança a Fernando Alonso após o piloto espanhol ter reclamado da atitude do brasileiro pelo rádio.

Nenhum comentário